S.M.S. – A LIDERGIA® PARA O TRABALHO EM EQUIPE Parte 6 – A “área do coração” – 2. Chakra cardíaco e timo

Para muitos apalavra CHAKRA é desconhecida. Mas vamos tentar compreender melhor o que ela significa.

CHAKRA é uma palavra que se origina do sânscrito e dignifica roda ou vórtice e representa centros de energia conectados com o corpo e permite que a energia vital flua através do nosso sistema endócrino. Por isso cada chakra se relaciona com uma glândula endócrina ou de secreção interna.

Existem sete chakras principais que se localizam ao longo da nossa coluna vertebral e que são responsáveis pela aceitação ou liberação de energias, atuando como “centros de comando” das funções orgânicas.

            O hinduísmo e o yoga ensinam que estes sete chakras possuem uma estreita relação com nossas funções físicas, mentais e espirituais.

 

O chakra cardíaco

 

Em sânscrito este chakra recebe o nome de Anahata, que significa “a câmara secreta do coração”.

Está localizado no centro do peito e é responsável por equilibrar todos os outros chakras: os três acima dele (coronário, frontal e laríngeo), mentais e espiritual, e os três abaixo dele (umbilical, sexual e básico), físicos e emocionais.

Por ter uma relação íntima com a glândula timo, tem papel fundamental na manutenção da nossa imunidade, como veremos adiante.

O chakra cardíaco é o responsável pela energização do sistema cardiorrespiratório, por isso controla toda a energia do tórax, além de contribuir para o fortalecimento do sistema imunológico.

Seu elemento é ar e é considerado a sede do Eu Superior, a nossa consciência espiritual.

O ar se relaciona a tudo que que se expande; representa a liberdade e a renovação. Também representa a leveza, a suavidade e a simplicidade.

O ar também se associa diretamente à respiração, processo vital para a manutenção da vida física. Tanto é que no Genesis, está escrito: “e Deus injetou-lhe nas narinas o fôlego da Vida (ar)”.

A Ciência já mostrou que o Ser Humano é capaz de ficar sem comer e beber por períodos moderadamente longos, mas não consegue ficar sem respirar por mais do que cinco minutos.

É a partir deste chakra que a palavra “NÓS” começa a ter um significado mais profundo.

É neste chakra que imagens e sons são transformados em sentimentos.

Tal chacra é considerado o centro das emoções, o canal de movimentação dos sentimentos e o centro do Amor e da sabedoria nas relações emocionais entre as pessoas.

Amor ágape ou incondicional, compaixão, equilíbrio, harmonia e paz representam seu lado positivo. Desequilíbrio, instabilidade emocional, tristeza, raiva e ódio representam seu lado negativo.

Quando este chakra está energizado, equilibrado e alinhado com os outros chakras, são naturalmente desenvolvidos sentimentos como altruísmo, empatia, caridade, gratidão, perdão e aceitação, zelo, amor próprio, apreciação e generosidade.

Organicamente, o desequilíbrio deste chakra, gerado por um desgaste ou instabilidade emocionais, pode ocasionar baixa imunidade e aparecimento de doenças, pontadas no peito, taquicardia (batimentos acelerados do coração), sensação de pressão e/ou peso no peito, infarto, vazio interior, angústia, irritação e depressão.

 

Efeitos do equilíbrio do chakra cardíaco

 

No site https://www.iquilibrio.com/blog/espiritualidade/chakras/chakra-cardiaco/ encontramos os efeitos positivos e negativos relacionados ao equilíbrio e desequilíbrio deste chakra, os quais reproduzo abaixo.

Efeitos positivos quando alinhado:

– maior vigor devido a boa energização dos demais chakras;

– harmonia na vida material e espiritual;

– amor pelas funções que exerce;

– amor pela vida;

– ótimo conselheiro;

– espiritualidade aflorada;

– vida equilibrada;

– controle e harmonia nos relacionamentos;

– felicidade contagiante;

– confiança nas decisões;

– compaixão;

– capacidade de entendimento e perdão;

– visão ampla sobre questões da vida.

Efeitos negativos quando não alinhado:

– irritação;

– depressão;

– transtornos de ansiedade;

– palpitações;

– taquicardia;

– isolamento;

– problemas cardíacos;

– câncer de mama em mulheres;

– materialismo;

– dependência tanto material quanto afetiva;

– frustrações;

– relações afetivas passageiras.

 

Glândula timo

 

A glândula timo é a glândula endócrina, ou de secreção interna, que corresponde ao chakra cardíaco.

Seu nome deriva do grego thymós, que significa energia vital.

Para os antigos gregos thymós se relacionava à razão, à consciência, como também à respiração (sopro, alma, palavra), ao coração (desejos e intenções) e ao fígado (emoções).

O timo é uma glândula que participa ativamente do nosso sistema imunológico produzindo uma célula de defesa chamada linfócito T.

Sua localização anatômica é no meio do peito, acima do coração.

O timo está diretamente relacionado aos sentidos, à consciência e à linguagem, sendo também muito sensível a imagens, cores, luzes, cheiros, sabores, gestos, toques, sons e palavras, além do tipo e da qualidade dos pensamentos.

Quando surgem pensamentos negativos, o timo se “encolhe” e abra caminho para o aparecimento de doenças, pois diminui sua capacidade orgânica de defesa. Por outro lado, quando surgem pensamentos positivos, ela á ativada e “incha”, aumentando seu tamanho e sua capacidade de defesa.

Acredita-se que o poder dos pensamentos negativos seja maior que o poder de vírus e bactérias para causar doenças.

Talvez esteja aí uma das razões que explicam o fato que pessoas pessimistas, com “baixo astral”, sejam mais propensas a adoecerem (física e mentalmente) do que as pessoas otimistas e com “alto astral”.

 

O chakra cardíaco, o timo e a liderança

 

No texto anterior (https://lidergia.com.br/s-m-s-a-lidergia-para-o-trabalho-em-equipe-parte-6-a-area-do-coracao-1-o-coracao/) tivemos a oportunidade de mostrar como um líder 4.0 deve usar seu coração na prática da liderança.

Neste texto, aprofundamos este conceito, embora você possa se perguntar qual a importância do chakra cardíaco e da glândula timo neste processo.

Para isso, basta relembrar como estas estruturas são sensíveis aos nossos pensamentos e sentimentos (chackra cardíaco) e aos sons e palavras (timo). Isto é o que é mais produzido nos nossos relacionamentos.

Pense, agora, em um líder totalitário e centralizador. Se a imagem lhe for negativa, imagine-se convivendo com este indivíduo várias horas do seu dia. Pensou?

Agora, pense o oposto. Pense em um líder cujas palavras desperte em você pensamentos e sentimentos positivos. Pensou?

Você não vê e você não sente. Mas tenha a certeza que o chakra e o timo estão trabalhando de forma positiva. O chakra por se manter energizado e o timo por “inchar” pelos estímulos recebidos.

Se estas estruturas possuem um papel fundamental na qualidade dos nossos relacionamentos, isto também se aplica à liderança.

 

 

Autor: Luiz Roberto Fava

 

Siga também nossa página no LinkedIn para manter-se atualizado com nossos artigos e novidades => https://www.linkedin.com/company/lidergia/

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *