S.M.S. – A LIDERGIA® para o trabalho em equipe Parte 10 – O Quociente de Amor

No texto anterior, onde abordamos a inteligência do coração, tivemos a oportunidade de realçar o fato de que o coração não é apenas uma bomba que manda o sangue para todo o organismo; pelo contrário, é um órgão muito mais importante do que nos mostra a Anatomia.

Como sede dos sentimentos e emoções humanas, ele também se relaciona diretamente com nossos quocientes intelectual (QI) e emocional (QE), através do quociente de Amor (QA), como veremos a seguir.

O conceito de Quociente de Amor – originalmente, Love Quotient (LQ) – foi introduzido por Jack Ma, co-fundador e presidente executivo da Alibaba Group, ao afirmar que:

“Para ter sucesso é necessário que o indivíduo tenha um alto QE; se este indivíduo não quiser se ver perdido, terá que desenvolver um alto QI; mas, se este mesmo indivíduo quiser ser respeitado, terá que ter um alto QA”.

Esta foi a colocação de Jack Ma ao ser inquirido sobre inteligência artificial e o papel que o ser humano terá em um mundo onde as máquinas farão a maior parte das tarefas.

E ele foi mais além ao afirmar:

“As máquinas não possuem um coração; as máquinas não possuem alma; e, as máquinas não possuem crenças. Já os seres humanos possuem alma, crenças, valores, criatividade. Por isso, temos a capacidade de mostrar que podemos controlar as máquinas”.

Segundo ele, “uma das coisas que diferenciam o ser humano das máquinas é a centelha da Vida ou alma, como também a energia e as intenções que nos levam a ter atos de gentileza, compaixão e cuidado para com o nosso próximo. Aqueles com QI e QE bem desenvolvidos certamente sobreviverão na era das máquinas; entretanto, somente aqueles com alto QA é que vão crescer e se desenvolver como seres humanos”.

Enquanto o QI consegue medir o intelecto humano e o QE lida com a compreensão e o controle das emoções, o quociente de Amor (QA) constitui-se na ferramenta que nos faz entender nossa própria capacidade de amar como também enfatiza a necessidade de praticá-la.

Assim, a definição do quociente de Amor (QA) nada mais é do que a nossa habilidade de ser gentil e de amar a si próprio e aos outros voluntariamente e de boa vontade; é amar através dos pensamentos e das ações, seja com os membros da família, do trabalho ou com as pessoas que fazem parte do seu círculo social.

O QA nos leva ao ponto de compreender o amor e a praticá-lo de forma prática e constante, fazendo com que nossas vidas se tornem mais plenas e vividas de forma mais intensa.

 

O significado dos quocientes e como se relacionam

 

            O QI se traduz pela medida da inteligência e foi empregado como um predicado do sucesso pessoal.

O QE é uma habilidade que faz compreender as motivações e sentimentos de cada um e usar este conhecimento na interação inrterpessoal.

Entender o QA e como ele se relaciona com o QI e com o QE não é algo difícil.

O QA está diretamente relacionado à inteligência do coração, a qual foi tema de meu texto anterior (https://lidergia.com.br/s-m-s-a-lidergia-para-o-trabalho-em-equipe-parte-9-a-inteligencia-do-coracao/). Este quociente pode ser considerado como um passo muito importante na evolução humana e, talvez em alguns casos, possuir maior relevância do que o QI e o QE.

Mesmo aqueles que possuem baixos QI e QE são capazes de aprender a amar a si mesmos e aos outros. Todos nós conhecemos pessoas estudiosas ou espertas, mas que possuem um coração de ouro.

Também devemos ter um certo cuidado com aqueles que possuem um alto QE. Tais pessoas podem usar esta habilidade de forma egoísta e manipular emocionalmente os outros a fim de atingir seus objetivos.

Possuir um QE bem desenvolvido, mas sem um QA também desenvolvido, pode fazer com que não se crie soluções que beneficiem a todos. Mas quando o QE e o QA se juntam, cria-se esta oportunidade e as soluções servirão não apenas aos nossos interesses, mas também aos interesses das outras pessoas.

O QE também é empregado de forma efetiva para gerenciar conflitos. Entretanto, sem um QA altamente desenvolvido, pode ser muito difícil avaliar as emoções negativas que se manifestam durante um conflito. Sem a consciência do QA pode-se ficar na defensiva ou mesmo agir com medo, fazendo com que o outro aja da mesma forma, criando situações onde não haja a resolução dos mesmos.

Enquanto o QI e o QE são funções do corpo (cérebro) e da mente, o QA é função do coração.

Desta forma, quando nos conectamos com outra pessoa, cria-se uma sinergia de sorrisos, gestos e posturas que entram em sincronia. Mas, quando nos conectamos de forma mais profunda, cria-se também sincronia entre os respectivos corações.

É neste “ambiente” que vem a nível consciente vários aspectos já tratados em outros textos e que dizem respeito diretamente ao tema “amor e liderança”, tais como:

– geração de neurotransmissores de energia anabólica: dopamina, ocitocina, serotonina e endorfina (https://lidergia.com.br/uma-d-o-s-e-de-felicidade-e-bem-estar-no-trabalho/);

– uma melhor qualidade dos nossos pensamentos e sentimentos, agora conscientes, diminui drasticamente a produção de neurotransmissores catabólicos (adrenalina e cortisol), o que diminui a instalação de doenças decorrentes do estresse, ansiedade e depressão, assim como manifestações patológicas que podem levar a ataques cardíacos, derrames cerebrais e, em casos gravíssimos, a própria morte (https://lidergia.com.br/mentalbolismo-e-metanoia/);

– passamos a desenvolver a frequência de 500 Hz, a frequência do amor na escala vibracional das emoções de David Hawkins (https://lidergia.com.br/lidergia-a-energia-que-emana-da-lideranca-amorizacao-do-ambiente-de-trabalho-parte-3/);

– nossa glândula timo se expande, lançando na corrente sanguínea uma maior quantidade de células de defesa, o que diminui o aparecimento de doenças (http://favaconsulting.com.br/produtividade-a-area-do-coracao/);

– o campo eletromagnético do coração busca se harmonizar e se integrar com pessoas que possuem a mesma vibração ou que estejam abertas para receber a mesma onda vibracional (http://favaconsulting.com.br/produtividade-a-area-do-coracao/).

 

Como o líder pode demonstrar Amor para com a equipe

 

Tamiko Cuellar descreve oito maneiras de demonstrar o Amor para os membros da equipe:

1 – Mostre reconhecimento.

Agradecimentos e elogios de forma pública ou privada fazem com que seus liderados se motivem ainda mais e mantenham os relacionamentos por tempos mais longos e de forma duradoura.

2 – Ofereça incentivos.

Caso alguém da equipe esteja se esforçando e trabalhando duro, um ato de gentileza ou uma palavra amiga podem ser o impulso necessário para que este alguém siga em frente apesar dos desafios.

3 – Seja compreensível e flexível sempre que possível, mas mantenha limites.

Tenha a excelência como objetivo, mas seja sensível quando seus liderados estiverem se sentindo sobrecarregados.

4 – Não existe nada pior do que um líder que ladra como um cão ao emitir ordens e que não está nem aí em escutar as preocupações relativas aos membros da equipe. O ato de escutar promove a inovação e o compartilhamento de ideias. O ato também demonstra que sua equipe é valorizada.

Para lembrar: escutar significa ouvir com atenção. É entender aquilo que é captado pelo sentido da audição e, também, compreender e processar mentalmente a informação.

5 – Mantenha as linhas de comunicação sempre abertas.

Isto significa criar um espaço seguro para uma comunicação aberta. Ter uma equipe que se sente intimidada em compartilhar os desafios que afetam seu desempenho é algo que não serve para ninguém e nem para a empresa.

6 – Treine e dê apoio em vez de criticar.

Algumas vezes a equipe, ou algum de seus membros, poderá desenvolver seu trabalho abaixo das expectativas. Se você percebe que estão trabalhando duro para alcançar suas metas, ofereça ajuda na forma de treinamentos. Siga a máxima “ajude-me a ajudá-lo” em vez de ofendê-los e apontar seus erros.

7 – Ofereça ajuda e suporte quando houver sobrecarga de trabalho.

Onde existe confiança e uma comunicação aberta, nenhum membro da equipe irá esconder fatos como, por exemplo, estar estressado. Nestes casos, pergunte sempre o que pode ser feito para ajudá-lo a gerenciar melhor a sobrecarga.

8 – Pergunte sempre como cada um está se sentindo e procure entender as respostas.

Mesmo quando os membros da equipe estiverem bem, eles querem ter a segurança que você se preocupa com eles. Eles conseguem perceber quando esta preocupação é somente com o trabalho.

Para muitos, o Amor é a energia pela qual a Vida acontece para os seres humanos. Por isso o QA está redefinindo e expandindo o que o Amor significa.

Finalizo este texto com outra frase de Jack Ma: “somente os tolos usam sua boca para falar. Os espertos usam seu cérebro e os sensatos usam seu coração”.

 

Autor: Luiz Roberto Fava

 

Siga também nossa página no LinkedIn para manter-se atualizado com nossos artigos e novidades => https://www.linkedin.com/company/lidergia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *